Asset Publisher Asset Publisher

Família do Lado 2016 – Mais de 230 famílias reunidas à mesa da Diversidade

Imagem em Destaque
Família do Lado 2016 – Mais de 230 famílias reunidas à mesa da Diversidade
A diversidade esteve reunida à mesa de 232 famílias, no dia 27 de novembro, através da iniciativa Família do Lado, este ano já na sua 5ª edição. No total, realizaram-se 100 Encontros, em que estiveram reunidas 115 Famílias migrantes e 117 famílias autóctones.
A Família do Lado, iniciativa promovida em Portugal, desde 2012, pelo ACM, envolveu em 2016, 830 pessoas e 96 entidades organizadoras, entre as quais 16 autarquias, 8 entidades da sociedade civil, e 72 Projetos Escolhas. A organizar os almoços, estiveram 63 instituições.
Os almoços decorreram em 38 municípios, designadamente, Albufeira, Almada, Amadora, Alvito, Barreiro, Braga, Bragança, Cascais, Coimbra, Constância, Covilhã, Estarreja, Évora, Fundão, Gondomar, Guarda, Leiria, Lisboa, Loures, Lousã, Moita, Montemor-o-Novo, Odivelas, Oeiras, Olhão, Ovar, Paços de Ferreira, Peniche, Ponta Delgada, Portimão, Porto, Santa Cruz, Seixal, Sintra, Trofa, Viana do Castelo, Vila N. Famalicão, V.N. Gaia.
Sintra destacou-se por ser o município com mais encontros, no total 18, seguindo-se Lisboa, com 16, Portimão, com 8, Viana do Castelo e Moita, ambos com 4  cada um. Os municípios da Guarda, Braga e Odivelas acolheram, cada um, 3 encontros.
Aderiram à iniciativa participantes de 33 nacionalidades: Alemanha, Angola, Bangladesh, Bélgica, Brasil, Cabo Verde, Chile, China, Costa de Marfim, Eritreia, França, Guiné-Bissau, Índia, Irão, Iraque, Líbia, Mali, Marrocos, Mauritânia, Moçambique, Nigéria, País de Gales, Palestina, Paquistão, Portugal, Roménia, Síria, São Tomé e Príncipe, Senegal, Turquia, Ucrânia, Uruguai, Venezuela.
 
"Os meus convidados sentiram-se em casa!"
 
Roberta Serra, brasileira, a residir há 8 anos na Lousã, participou este ano, pela primeira vez, na Família do Lado e a experiência "é para repetir", garante. À sua mesa estiveram duas famílias de imigrantes, um brasileira e uma romena, e o convívio não poderia ter sido mais harmonioso: "correu tudo muito bem e posso dizer que os meus convidados sentiram-se em casa!".
As iguarias típicas não faltaram nesta casa e todos deram o seu contributo: "servi um prato típico da minha terra, de Goiás, que é o Feijão Tropeiro e provei uma sobremesa especial trazida pela família romena e que gostei muito...não consigo é dizer o nome", conta Roberta, sem esconder a boa disposição.
O Feijão tropeiro, prato típico de Minas Gerais-Brasil, constituído por salsichas, caldo verde, farinha de mandioca, bacon e barriga de porco frita, esteve também à mesa da brasileira Vivian Silva e do seu esposo, que receberam em sua casa um casal português. O encontro destas duas famílias resultou numa amizade e até já marcaram um outro almoço em conjunto. "Foi a primeira vez que participei e estava muito nervosa, pois, não sabia o que me esperava... mas depois tudo correu muito bem. Foi mesmo maravilhoso! A seleção que fizeram não podia ter sido melhor, pois o casal que acolhemos era mesmo parecido connosco", realçou Vivian.
Vivian serviu à sua mesa, para além do Feijão Tropeiro, um delicioso brigadeiro e não deixou de provar também as iguarias trazidas pelo casal lusitano, "um salame de chocolate, que deve ter dado muito trabalho a fazer, e pasta de atum, como entrada. Estava tudo delicioso".
 
7 Encontros com famílias refugiadas
A edição de 2016 da Família do Lado fica como marco por ser a primeira vez que a iniciativa se estendeu às famílias refugiadas.
Em  Alvito,  3 refugiados sírios receberam em sua casa uma família portuguesa de 6 pessoas; em Évora, o Projeto Escolhas organizou um lanche/almoço entre 3 refugiados sírios e 5 jovens do projeto; em Portimão, registaram-se 2 encontros, um envolvendo um um casal português e 3 homens eritreus e um outro envolvendo um casal português e família síria (casal e crianças).
Em Sintra, assinalou-se um  encontro com uma família refugiada síria e em Viana do Castelo, 2 encontros, um deles entre uma Família portuguesa e uma família síria, e outro entre uma família inglesa, radicada em Portugal, e duas famílias paquistanesas refugiadas. Nesta reunião familiar, um dos participantes paquistaneses celebrou o seu aniversário.
Braga, Covilhã, Vila Nova de Gaia e Vila Nova de Famalicão destacaram-se pela organização de 4 encontros entre famílias portuguesas ciganas e não ciganas.
 
Mais de 460 almoços em 5 edições
As 5 edições da Família do Lado totalizam já  467 almoços. Envolvidas estiveram 1062 famílias e cerca de 3309 pessoas, de mais 50 nacionalidades diferentes. As famílias têm manifestado, no geral, a sua satisfação por terem participado na iniciativa e foram unânimes em considerar esta "uma experiência muito agradável".
 Esta iniciativa nasceu em 2004, na República Checa, a partir de um ideal criado pela fundadora da ONG, SLOVO 21, Jelena Silajdzi, ela própria imigrante na República Checa, para onde fugiu, com a sua família, da Bósnia e da guerra que pôs termo à ex Jugoslávia. Numa sociedade fechada aos desafios da imigração, sentiu que faziam falta mecanismos de interação entre as comunidades imigrantes e a sociedade autóctone e criou então o projeto “Next Door Family EU”, considerada hoje uma boa prática a nível europeu.
 
O reforço das relações sociais
Este projeto  assenta na interação entre imigrantes e autóctones e na importância do reforço das relações sociais, insistindo na promoção dos valores da interculturalidade, na valorização da diversidade cultural , na dinamização de novos modelos para a aproximação entre grupos diversos, na  prevenção do racismo, da xenofobia e de todas as formas de discriminação, a partir da promoção das relações interpessoais.
A edição de 2016 da Família do Lado 2016 foi cofinanciada pelo Fundo Social Europeu (FSE), no âmbito do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE).
 
 

 

Notícias relacionadas

SICNotícias

Jornal Público

Notíciasaominuto

Rádio Comercial

 

 

 

 

 


Related Articles Related Articles

Web Form Web Form

Olá, em que posso ajudar?

Deixe um email com a sua questão ou contacte 808 257 257 / (+351) 218 106 191, das 9:00h às 19:00h, de segunda a sexta.

This field is mandatory.
This field is mandatory.
This field is mandatory.

Migrant Support Line

This hotline is working from Monday to Friday between 9:00 am and 7:00 pm. Get more information here.

Powered By Liferay

Fechar popup

Bem-vindo ao novo portal do Alto Comissariado para as Migrações

Procuramos reunir aqui um conjunto de informação essencial e de interesse para os migrantes. No entanto, sabemos que este é um trabalho contínuo que nunca está terminado.

Contamos consigo para tornar este site mais completo. Se souber de alguma informação que deva ser adicionada ou corrigida, entre em contacto connosco através do acm@acm.gov.pt.