Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI)

O Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração contribui para uma gestão eficaz dos fluxos migratórios e para a definição de uma abordagem comum em matéria de asilo e migração.
O financiamento do FAMI apoia os esforços dos Estados-Membros para promover as suas capacidades de acolhimento dos imigrantes, melhorar a qualidade dos procedimentos de asilo de acordo com as normas da União, integrar os imigrantes a nível local e regional e aumentar a sustentabilidade dos programas de regresso.
A Comissão Europeia aprovou o Programa Nacional em março de 2015, permitindo a Portugal receber apoio financeiro do Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração, integrado no Quadro Financeiro Plurianual (QFP) para o período 2014-2020.
O QFP 2014-2020 para a área dos Assuntos Internos tem como objetivo contribuir para apoiar os Estados-membros na prossecução de uma política europeia que privilegia a imigração legal, a integração dos nacionais de países terceiros e o acolhimento de beneficiários de proteção internacional.
  • Enquadramento da candidatura nos objetivos e ações previstas na legislação comunitária referente ao Fundo;
  • Cumprimento da legislação nacional e comunitária em matéria de igualdade de oportunidades, informação e publicidade;
  • Cumprimento das disposições legais nacionais e comunitárias, nos procedimentos de contratação pública;
  • Acreditação do titular do pedido, ou das entidades a que recorra, para efeitos de execução de atividades de formação;
  • Comprovação de como será assegurada a contrapartida nacional, quando aplicável;
  • Apresentação de projeto técnico de engenharia/arquitetura aprovado nos termos legais, quando aplicável.
  • A apresentação das candidaturas é efetuada exclusivamente na plataforma eletrónica da Autoridade Responsável, através da submissão em formulário eletrónico próprio, disponibilizado para o efeito, devidamente preenchido e acompanhado de toda a documentação relevante de suporte.
  • Independentemente de outra documentação que venha a ser exigida pela Autoridade Responsável ou pela Autoridade Delegada, com a candidatura é ainda exigível a apresentação de um termo de responsabilidade, onde constem o cumprimento dos requisitos de admissão de candidatura.
  • Grau de contributo para os indicadores específicos do Programa Nacional (são indicadores comuns para todos os EMs  - Anexo IV do REG EU nº 516/2014);
  • Grau de sustentabilidade do projeto;
  • Grau de complementaridade com outros projetos cofinanciados;
  • Outros a definir pela Autoridade Responsável;
 => Os critérios de seleção irão constar do aviso de abertura.
O Fundo financia, em regra, 75% do valor elegível para cada projeto, sendo o custo restante assegurado pelo beneficiário, diretamente ou através de financiamento de outras entidades.
A elegibilidade das despesas é determinada segundo as regras nacionais, exceto, quando existam regras específicas no regulamento horizontal ou nos regulamentos específicos (Artsº. 17-19 do regulamento horizontal).
As despesas elegíveis devem estar de acordo com o constante no Guia do Beneficiário e anexos, Orientação Ténica nº 3 - Elegibilidade de Despesas - Recursos Humanos.
  • Pré-financiamento até 50% do montante financiado pelo Fundo, após a comunicação à Autoridade Responsável da data de início de execução do projeto (o que deve ser comunicado à AR ou AD no prazo de 30 dias após comunicação da decisão de aprovação do pedido de financiamento);
  • O reembolso das despesas realizadas e pagas, dentro dos prazos máximos estabelecidos;
  • Nota: O reembolso das despesas realizadas e pagas mais o pré-financiamento referido não pode ultrapassar os 95%;
  • O restante valor de 5 % é pago após aprovação do saldo final.
  • O pedido de reembolso de despesa pode ser efetuado a contar da data de início de execução do projeto, através da submissão em formulário eletrónico, na plataforma existente para o efeito, devidamente preenchido e acompanhado de toda a documentação de suporte relevante e necessária para o efeito.
  • O primeiro pedido de reembolso deverá ser submetido no prazo máximo de 90 dias contados da data de pagamento pela Autoridade Responsável (ou  AD) do pré-financiamento.
  • Entre pedidos de reembolso não poderá decorrer um período superior a 90 dias.
  • É causa de revogação da decisão de financiamento a não apresentação atempada dos pedidos de pagamento de reembolso ou de saldo.
O Sistema de Gestão e Controlo (cfr Reg Horizontal n.º 514/2014 , n.º 25, 1c) foi aprovado pela RCM n.º 46/2015, de 9 de julho, sendo composto pelas seguintes  entidades:
  • Autoridade Responsável (AR): A Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).
  • Autoridade Delegada (AD): O Alto Comissariado para as Migrações, I.P. (ACM)
  • Autoridade de Auditoria (AA): A Inspeção-Geral de Finanças (IGF)
  • A Comissão Interministerial de Coordenação para a área dos Fundos dos Assuntos Internos (CIC);
  • O Comité de Acompanhamento Técnico para a área dos Fundos dos Assuntos Internos (CAT).
Conjunto de regras de aplicação da marca referente à identidade visual do Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI), de forma a garantir a sua correta utilização nos mais diversos suportes de comunicação.
 

 
Programa Nacional
 
Legislação Nacional
Aprova o Sistema de Gestão e Controlo (SGC)
Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e da Administração Interna
Define as condições de acesso e as regras gerais de cofinanciamento comunitário aos projetos apresentados ao abrigo do Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração.
 
Legislação Comunitária
Estabelece disposições gerais aplicáveis ao fundo para o Asilo, a Migração e a Integração e ao instrumento de apoio financeiro à cooperação policial, à prevenção e luta contra a criminalidade e à gestão de crises.
Cria o Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração, que altera a Decisão 2008/381/CE do Conselho e que revoga as Decisões nº 573/2007/CE e nº 575/2007/CE do Parlamento Europeu e do Conselho e a Decisão 2007/435/CE do Conselho.
Estabelece o calendário e outras condições de execução relacionadas com o mecanismo de afetação de recursos para o programa de reinstalação da União ao abrigo do Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração.
 

Alto Comissariado para as Migrações - ACM, IP
R. Álvaro Coutinho, 14
1150 - 025 Lisboa
  • Telefone:218106100
  • Fax:218106117

 

Consulte aqui os contactos dos coordenadores das várias equipas ACM

The information presented is purely indicative, with the main purpose  to provide general guidance without exempt, at any case, the consultation with the competent authorities and the use of professional advice regarding the addressed themes

Web Form Web Form

Olá, em que posso ajudar?

Deixe um email com a sua questão ou contacte 808 257 257 / (+351) 218 106 191, das 9:00h às 19:00h, de segunda a sexta.

This field is mandatory.
This field is mandatory.
This field is mandatory.

Migrant Support Line

This hotline is working from Monday to Friday between 9:00 am and 7:00 pm. Get more information here.

Powered By Liferay

Fechar popup

Bem-vindo ao novo portal do Alto Comissariado para as Migrações

Procuramos reunir aqui um conjunto de informação essencial e de interesse para os migrantes. No entanto, sabemos que este é um trabalho contínuo que nunca está terminado.

Contamos consigo para tornar este site mais completo. Se souber de alguma informação que deva ser adicionada ou corrigida, entre em contacto connosco através do acm@acm.gov.pt.